Walberto Souza | Acalasia do Esôfago. Conheça os sintomas!
16233
post-template-default,single,single-post,postid-16233,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,vertical_menu_enabled,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Acalasia do Esôfago. Conheça os sintomas!

Acalasia do Esôfago. Conheça os sintomas!

O esôfago e o estômago se encontram através de um espessamento da musculatura esofágica, em sua porção mais baixa, que funciona como uma válvula que controla a passagem dos alimentos ingeridos do esôfago para o estômago. Esta “válvula” é chamada esfincter esofágico inferior (EEI). Quando não estamos engolindo, esse músculo permanece fechado evitando que o conteúdo do estômago não retornem ao esôfago.

Quando o esôfago sofre de um problema de inervação, há dificuldade para o transporte dos alimentos da boca ao estômago. Isto pode estar acontecendo por causa de uma doença chamada acalásia esofágica.   Trata-se e uma doença rara na infância e de difícil diagnóstico.

Um dos principais sintomas que os pacientes apresentam, inicialmente,  é a dificuldade para engolir sólidos, que acaba por progredir para dificuldade para ingesta até mesmo de líquidos, com o avançar da doença.

Outros sintomas que são comuns em pacientes com acalasia são: desconforto ou dor no peito, tosse, azia, perda de peso, vômitos, doença de refluxo gstroesofágico,  entre outros.

Para  o correto diagnóstico, alguns exames são necessários. Dentre eles:

  • Seriografia esofágica: ajuda na identificação da morfologia do esôfago visto que o paciente ingere contraste com bário e radiografias são registradas;
  • Endoscopia digestiva: utilizando-se fibra óptica para estudar o esôfago por dentro e avaliar como está a transição entre este e o estômago, assim como descartar outros problemas que possam estar causando os mesmos sintomas;
  • O diagnóstico definitivo é realizado por meio de um exame chamado manometria esofágica. Durante esse teste a pressão dentro do esôfago distal e no EEI é avaliada e confirma-se a descoordenação destes segmentos e o não relaxamento do EEI.

 

O tratamento para acalasia de esôfago se dá de diversas formas:

  • Dilatação esofágica: uma terapia não cirúrgica que passa um balão no esôfago, por endoscopia, para abrir o esfíncter inferior do esôfago e dilatar o EEI. Em grande parte das vezes o procedimento tem de ser repetido;
  • Toxina botulínica: Pequenas quantidades de toxina botulínica são injetadas no EEI, com o intuito de levar ao um relaxamento do mesmo. Como o efeito é temporário, a repetição das injeções são quase sempre necessárias.
  • Medicação: Certos medicamentos podem ajudar aqueles pacientes que não podem tolerar a cirurgia e não têm sucesso com a terapia botulínica. O alívio dos sintomas também é temporário.

Como cuidamos da acalasia esofágica – Cirurgia

Por meio da vídeo-laparoscopia, é realizada a liberação desta musculatura que não relaxa, permitindo assim a “descida” dos alimentos até o estômago: esta cirurgia é chamada esofagomiotomia de Heller. Uma técnica cirúrgica antirefluxo é associada ao procedimento para diminuir sintomas de refluxo no pós-operatório

 

Caso você tenha algum desses sintomas ou já tem o diagnóstico, entre em contato conosco. Teremos o prazer em atendê-los!