Walberto Souza | Atresia de Esôfago: o que é?
16131
post-template-default,single,single-post,postid-16131,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,vertical_menu_enabled,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Atresia de Esôfago: o que é?

Atresia de Esôfago: o que é?

A atresia esofágica é uma anomalia no sistema digestivo que ocorre quando o esôfago, órgão que liga a boca ao estômago, apresenta um fechamento em sua extremidade superior. É uma das hipóteses diagnósticas levantadas dentre as malformações do sistema digestivo quando, durante o seguimento de uma gestação, ocorre acúmulo excessivo de líquido amniótico ( polidrâmnio) no útero da gestante.

Quase 90% dos recém-nascidos (RNs) que apresentam a atresia esofágica possuem também uma comunicação de sua extremidade ou côto distal ( mais baixo) para a traquéia: a chamada fístula traqueoesofágica (FTE). A FTE é considerada um risco por permitir refluxo de conteúdo gástrico para dentro da via respiratória, podendo causar uma pneumonia. Em contrapartida, o acúmulo de saliva na extremidade superior do esôfago, pode favorecer a aspiração para via respiratória.

As crianças que têm essas anomalias podem apresentar outros problemas como defeitos no coração, nos rins, na coluna vertebral ou em outros segmentos do sistema digestivo, sendo necessário o acompanhamento multidisciplinar, que deverá iniciar-se mesmo antes do nascimento do bebê, sendo acompanhado por obstetras e pelo cirurgião pediátrico, quando da suspeita do diagnóstico.

 

O tratamento mais adequado é uma cirurgia para a desconexão do esôfago distal da traquéia e a tentativa de recanalização das 2 extremidades esofágicas. Todo o suporte e seguimento da unidade de terapia intensiva é imprescindível e por esta razão a interação do cirurgião pediátrico e da equipe de neonatologia é tão importante nestes casos.

Agende uma consulta e tire todas as suas dúvidas!

www.walbertosouza.com.br