Walberto Souza | Fimose: Meu filho precisa ser operado?
15724
post-template-default,single,single-post,postid-15724,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,vertical_menu_enabled,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Fimose: Meu filho precisa ser operado?

Fimose: Meu filho precisa ser operado?

Fimose: Meu filho precisa ser operado?

O que é a fimose

Fimose é uma condição em que a pele do prepúcio não pode ser retraída sobre a glande (extremidade do pênis). Ao nascimento, apenas 4% dos recém-nascidos possuem exposição completa da glande. Não há motivo para se alarmar pois cerca de 90% destes, por volta dos 3 anos de idade, terão retração prepucial normal.

Nem sempre é fimose

Prepúcio aderido à glande não é fimose. Excesso de pele no prepúcio não significa fimose. Prepúcio avermelhado ou inflamado não é fimose.

 

Quando operar uma criança de fimose?

Ao detectar algum problema o pediatra avaliará a criança e a encaminhará para que seja examinada por um cirurgião pediátrico. Quando indicado e de acordo com a avaliação do médico responsável, o tratamento poderá ser realizado com medicação tópica específica ou cirurgia.

Como é a operação?

Se o cirurgião pediátrico achar que é necessário o tratamento cirúrgico, chamado de Postectomia, o procedimento deverá ser realizado em ambiente adequado, normalmente sob anestesia geral e sob os cuidados de um anestesista. Como todo procedimento cirúrgico, a postectomia, mesmo sendo uma cirurgia simples, não é completamente isenta de riscos.

Lembre-se que nem sempre é necessário operar de fimose

Na maioria das vezes não é necessário operar fimose. O mais comum é que o pediatra inicie o tratamento tópico com pomadas específicas e que solicite o parecer do cirurgião pediátrico que, com tranquilidade e propriedade, conduzirá o caso, tentando acalmar os pais e evitando, tanto o quanto o possível, o trauma cirúrgico.